Ogni comportamento, ogni gesto, ha la sua importanza per combattere la miseria e l'esclusione. Esistono diversi modi di agire, qualunque siano le nostre competenze e disponibilità. Questi messaggi, queste testimonianze, sono tanto l'espressione di un impegno personale quanto di uno collettivo. Non esitate ad apportare il vostro contributo.

Le testimonianze sono pubblicate sotto la responsabilità dei loro autori. Verranno pubblicate solo se rispettano nella forma e nel contenuto lo spirito della giornata, cosi come viene definito nella Plateforme pour le 17 octobre.

Rede Europeia desafia autarquias a empenharem-se no combate à pobreza

O presidente da Rede Europeia Anti-Pobreza (EAPN) Portugal desafia as autarquias a empenharem-se no combate à pobreza, uma luta que diz que só poderá ser ganha se os pobres forem envolvidos na solução do problema.

"Estamos cada vez mais convictos e conscientes de que os pobres só vencerão a pobreza na medida em que forem participantes ativos na solução da sua situação", disse o padre Jardim Moreira, que falava à Lusa a propósito do Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza, que se assinala a 17 de outubro.

Por outro lado, salientou, "cada vez mais, as autarquias têm um papel importante de se envolver na ação social", em "cada sítio e em cada concelho", na luta contra a pobreza.

A partir também da "perspetiva do Governo de centralizar competências para as autarquias", a EAPN tem vindo a solicitar a participação das autarquias nas iniciativas que tem vindo a desenvolver de luta contra a pobreza, tendo muitas já aderido, disse o presidente da organização.

A rede tem vindo a constituir por todo o país "conselhos locais de cidadãos", integrados por pessoas que viveram ou vivem em situação de desfavorecimento social, que se identificam com os objetivos da organização e desejem contribuir voluntariamente para o combate à pobreza e à exclusão social.

O objetivo, explicou o padre Jardim Moreira, é que "seja cada vez mais a sociedade civil a assumir o papel e a responsabilidade de lutar contra a pobreza", criando "uma equidade a partir do conhecimento da dignidade, da liberdade de cada pessoa humana em Portugal".

Para assinalar o dia para a erradicação da pobreza, a EAPN promove na terça e na quarta-feira, em Lisboa, o "IX Fórum Nacional de Combate à Pobreza e/ou Exclusão Social", que pretende sensibilizar a sociedade civil para "a importância da participação na inclusão social de pessoas desfavorecidas, mostrando que a participação é possível e tem resultados".

Para o padre Jardim Moreira, "a participação dos pobres e excluídos na sua problemática é fundamental para que eles possam encontrar a libertação e uma participação ativa, digna e livre na sociedade onde pertencem".

O dia 17 de outubro será também assinalado pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que irá receber em audiência algumas pessoas em situação de pobreza e responsáveis da EAPN, avançou à Lusa.

Em 2016, 2,595 milhões de portugueses encontravam-se em risco de pobreza ou exclusão social, ou seja, 25,1%, menos 1,5 pontos percentuais face no ano anterior, segundo os últimos dados do Instituto Nacional de Estatística.

Do total de pessoas em pobreza ou exclusão social, 18,8% (cerca de 487 mil) tinham menos de 18 anos e 18% (cerca de 468 mil) tinham 65 ou mais anos.

Casas com falta de divisões habitáveis, sem casas de banho, apertadas e escuras são os problemas nas condições de vida que mais afetam famílias com crianças que se contam entre os que estão em risco de pobreza.

presidente da Rede Europeia Anti-Pobreza (EAPN) Portugal